OrthodoxChristianity.net
September 16, 2014, 09:51:37 PM *
Welcome, Guest. Please login or register.

Login with username, password and session length
News: Reminder: No political discussions in the public fora.  If you do not have access to the private Politics Forum, please send a PM to Fr. George.
 
   Home   Help Calendar Contact Treasury Tags Login Register  
Pages: 1   Go Down
  Print  
Author Topic: UOC KP in Brazil  (Read 5249 times) Average Rating: 0
0 Members and 1 Guest are viewing this topic.
mike
Stratopedarches
**************
Offline Offline

Posts: 21,467


WWW
« on: June 12, 2010, 07:22:28 AM »

An obituary of a jurisdictional jumper (RCC=>Presbyterian=>Pentecostal=>Syriac Orthodox=>UOC KP) that was trying to start WR missions in Brazil under UOC KP (Fr. Mirosław Kropidłowski).

It looks like, Michał, that he was the man you have been looking for.

Ever heard of him and his activities, Fabio Leite?
« Last Edit: June 12, 2010, 07:36:09 AM by mike » Logged

Byzantinism
no longer posting here
Michał
['mi:hɑʊ]
High Elder
******
Offline Offline

Faith: Catholic (again!)
Jurisdiction: the Latin Church
Posts: 824


"Mother of God, Virgin, by God glorified Mary..."


« Reply #1 on: June 12, 2010, 03:23:57 PM »

It looks like, Michał, that he was the man you have been looking for.

Although I've been trying to get in touch with a WRO priest from South America (even with two of them: Fathers Pedro Oliveira and Ruben Villaba), I've never heard of Fr Mirosław. It's a pitty he didn't end up in any canonical EO jurisdiction.
Logged
IreneOlinyk
Sr. Member
****
Offline Offline

Faith: Eastern Orthodox
Jurisdiction: Ukrainian Orthodox (EP)
Posts: 203


« Reply #2 on: June 12, 2010, 05:32:07 PM »

It looks like, Michał, that he was the man you have been looking for.

Although I've been trying to get in touch with a WRO priest from South America (even with two of them: Fathers Pedro Oliveira and Ruben Villaba), I've never heard of Fr Mirosław. It's a pitty he didn't end up in any canonical EO jurisdiction.
His missionary work while a Catholic priest was first in Angola then Brazil where he encountered the Catholic Charismatic Movement and fought against the Protestant missionaries.  He then returned home to Poland and joined the Dutch Reformed Church.

In this autobiography about his conversion to Protestantism, (http://forocristiano.iglesia.net/archive/index.php/t-10556.html) he questions the veneration of Mary; it is odd that next he turned to the Orthodox Church, after rejecting the veneration of the Theotokos in Catholicism.  Maybe he was a man who was still searching for his own truth in religion.

Does the UOC-KP have a Western rite?  Do you think that maybe he belonged to the UAOC before he died?
http://www.ortodoxa.net/
Logged
mike
Stratopedarches
**************
Offline Offline

Posts: 21,467


WWW
« Reply #3 on: June 12, 2010, 05:58:02 PM »

Although I've been trying to get in touch with a WRO priest from South America (even with two of them: Fathers Pedro Oliveira and Ruben Villaba), I've never heard of Fr Mirosław.

Who are they?

Does the UOC-KP have a Western rite?  Do you think that maybe he belonged to the UAOC before he died?
http://www.ortodoxa.net/

On that obituary there was written that he belonged to UOC KP. BTW is that jurisdiction linked with UAOC under metropolitan Methodius?
Logged

Byzantinism
no longer posting here
IreneOlinyk
Sr. Member
****
Offline Offline

Faith: Eastern Orthodox
Jurisdiction: Ukrainian Orthodox (EP)
Posts: 203


« Reply #4 on: June 12, 2010, 08:38:28 PM »

Quote
On that obituary there was written that he belonged to UOC KP. BTW is that jurisdiction linked with UAOC under metropolitan Methodius?

No the UOC-KP is under Patriarch Filaret and is a different church than the UAOC under methrpolitan Methody.

I cannot determine if the UOC-KP has any western-rite parishes in North America or elsewhere:
http://en.uockp.net/parishes.html

Here is the list of the hierarchy and I don't see a bishop for South America:
http://en.uockp.net/hierarchy.html

Please note that there are a number of churches that use the name Ukrainian Autocephalous Orthodox Church.  It is possible that he was a priest in another jurisdiction.
Logged
mike
Stratopedarches
**************
Offline Offline

Posts: 21,467


WWW
« Reply #5 on: June 13, 2010, 08:57:49 AM »

Well I know but the link orthodoxa.net leads to the site of a jurisdiction that is not associated with UAOC under Metr. Methodius too, doesn't it?

The Priest stated himself that he belonged to the Ukrainian Orthodox Church  Kiev Patriarchate. Of course it doesn't have to bee true.
Logged

Byzantinism
no longer posting here
Orest
High Elder
******
Offline Offline

Posts: 974


« Reply #6 on: June 13, 2010, 01:16:23 PM »

1. Well I know but the link orthodoxa.net leads to the site of a jurisdiction that is not associated with UAOC under Metr. Methodius too, doesn't it?

2. The Priest stated himself that he belonged to the Ukrainian Orthodox Church  Kiev Patriarchate. Of course it doesn't have to bee true.

1.  Yes, you are right.  The link is to a church that calls itself the UAOC.  And you are right that this church on the web page is not under the UOAC under Metropolitan Methodiy.  if you use the internet wayback machine, you can access older editions of their web pages.

2.  It is the obituary that states that the priest was part of the UOC-KP.   Do you have anything written by the priest himself?

Thus, we can make some possible conclusions:
1.  The writer of the obituary made a mistake.  People often make mistakes in all innocence. You can verify if the priest was a member of the UOC-KP by writing by e-mail to the UOC-KP spokesman Fr. Victor Poliarny: revpoliarny@aol.com

On the UOC-KP web page it states:
http://en.uockp.net/parishes.html

Official List of Clergy
Due to the current situation in the diaspora and the vast amount of clergy arriving in The United States and Canada, The Ukrainian Orthodox Church Kyivan Patriarchate would like to inform all persons that the listed clergy below are the only official members of the clergy representing The Ukrainian Orthodox Church - Kyivan Patriarchate and have the blessing of His Holiness Patriarch Filaret to serve in The United States and Canada.   
Very Rev. Victor Poliarny
300 East Army Trail Road
Bloomingdale, IL   60108
Tel: (630) 307-2477
E-MAIL: revpoliarny@aol.com


2. Or: The priest was part of a church called UOAC that is active in South American but not under Metr. Methodiy.
     
3. Or: There is a third church that calls itself UOAC, but this church has its own  Patriarch Moses as hierarch.
Logged
mike
Stratopedarches
**************
Offline Offline

Posts: 21,467


WWW
« Reply #7 on: June 13, 2010, 02:14:26 PM »

That Priest was writing to the Polish site ekumenizm.pl and he was listed on their crew list as a member of UOC KP - he must have told them so. I have no idea whether there is a UOC KP mission in Brazil that we are not aware of, he had misinformed his colleagues (not to confuse them with such a jurisdictional mess) or he didn't exactly know to which jurisdiction he had transferred.
« Last Edit: June 13, 2010, 02:18:00 PM by mike » Logged

Byzantinism
no longer posting here
Orest
High Elder
******
Offline Offline

Posts: 974


« Reply #8 on: June 13, 2010, 02:49:38 PM »

That Priest was writing to the Polish site ekumenizm.pl and he was listed on their crew list as a member of UOC KP - he must have told them so. I have no idea whether there is a UOC KP mission in Brazil that we are not aware of, he had misinformed his colleagues (not to confuse them with such a jurisdictional mess) or he didn't exactly know to which jurisdiction he had transferred.

Dear Mike, I can see that you did not understand what I wrote.
1.  The UOC-KP under Patriarch Filaret in Kyiv, Ukraine has a list of priests who belong to their jurisdiction.  This priest is not on their list & therefore, he is not a priest of the UOC-KP under Patriarch Filaret.
2.  There are a number of other churches that use of the name Ukrainian Autocephalous Orthodox Church in addition to the UAOC, a Ukrainian Church centred in Ukraine and headed by Metr. Methodiy.
3.  Some of these other churches that use the name Ukrainian Autocephalous Orthodox Churchare filled with many people who have no connection with Ukraine or are not Ukrainian in ethnicity.  Often there is a Roman Catholic background for most of the clergy especially in South America.
4.  There is a church callled the Ukrainian Auotocephalous Orthodox Church and its leader calls himself Patriarch Moses and claims to be patriarch of Kyiv.  So I can offer as one theory that your Polish ex-Catholic priest colleague in Brazil might have been a member of the UAOC under Patriarch Moses.

I hope this additional information is of some help.
Logged
mike
Stratopedarches
**************
Offline Offline

Posts: 21,467


WWW
« Reply #9 on: June 13, 2010, 03:37:30 PM »

I'm afraid it is you who do not understand what the other one wants to say. Fr. Mirosław Kropidłowski announced by himself that he was a member of the UOC KP - he did not use the world 'Autocephalous', but the 'Kiev Patriarchate'.

Of course it does not help us to find out what jurisdiction he really belonged to. I don't believe in the theory that he belonged to UAOC under Patr. Moses as it is, as Heorhij posted somewhere, almost extincted as it does not describe itself as 'Kiev Patriarchate' although Patr. Moses uses this title.

I suppose the most propable reason that he is not listed on UOC KP directory is the fact, that he died 2 years ago.
« Last Edit: June 13, 2010, 03:40:39 PM by mike » Logged

Byzantinism
no longer posting here
Michał
['mi:hɑʊ]
High Elder
******
Offline Offline

Faith: Catholic (again!)
Jurisdiction: the Latin Church
Posts: 824


"Mother of God, Virgin, by God glorified Mary..."


« Reply #10 on: June 13, 2010, 03:39:05 PM »

Although I've been trying to get in touch with a WRO priest from South America (even with two of them: Fathers Pedro Oliveira and Ruben Villaba), I've never heard of Fr Mirosław.

Who are they?
As far as I know: Fr Pedro - an ex-ROCOR priest, Fr Ruben - a UOC-USA (EP) priest.
Logged
Michał
['mi:hɑʊ]
High Elder
******
Offline Offline

Faith: Catholic (again!)
Jurisdiction: the Latin Church
Posts: 824


"Mother of God, Virgin, by God glorified Mary..."


« Reply #11 on: June 13, 2010, 04:16:32 PM »

Fr. Mirosław Kropidłowski announced by himself that he was a member of the UOC KP - he did not use the world 'Autocephalous', but the 'Kiev Patriarchate'.

That's right. On this webpage, Fr Mirosław himself wrote that he was of the UOC KP under Patriarch Philaret.
Logged
Fabio Leite
Archon
********
Offline Offline

Faith: Orthodox
Posts: 3,124



WWW
« Reply #12 on: June 14, 2010, 11:28:39 AM »

Hi!

I will try to find out more about this story.

I can tell you that because Brazil is a country with little visibility in the world besides the "tourism-samba-soccer-beaches" factors, there is a plethora of what a friend of mine has called "twistorthodox" churches in the less visible areas. Some either comes from the Romans or Protestants or even just wakes up one day and decides that is going to build a church and then decide to create a pompous name related with a faraway country whose hierarchy couldn't care less about what is going in the countryside of Brazil. One of them that I know of, in the agricultural state of Mato Grosso, did claim to be the Autocephalic Church of Ukraine and I'm guessing right now that this may be the church in question. They didn't have any link whatsoever with anyone the last time I heard though. Unfortunately, these people are usually successful. One thing we must concede about them, they are far more proactive in preaching for the native Brazilians than most of the canonical jurisdictions. I know of a couple of priests who have become schismatics precisely out of despair of the inaction of the canonical jurisdictions. So, although I'm not saying this is the case, I wouldn't be surprised to find out that this one more mythomaniac, if not an outright con-artist, who created a colorful adventurous story about spiritual trips and experiences in exotic "mystic" Orthodox countries. As I said, for the moment, I can't say this is the case, but my expectations regarding this kind of story have been made very low by experience.

As for the history of the only canonical Ukrainian jurisdiction in Brazil, under Archbishop Don Jeremias, who is under Metropolitan Antony of the USA and Constantinople.

Just for the records, here are two articles, one by Protopresbyter Nicolas Mylus, who knows much of the Eparchy history because he lived it and the second is an article from the Cathedral site for the celebration of its 75 years anniversary. They are in Portuguese, but I guess Google Translator can help have a glimpse of the most important facts. Anyone who is not under Don Jeremias or the Eparchy and claims to belong to the Ukrainian church is simply not a member of any canonical jurisdiction.

IGREJA ORTODOXA
UCRANIANA NO BRASIL
http://ortodoxia2000.tripod.com/ensaio4.html



Proto-Presbítero Nicolas Milus




A IMIGRAÇÃO UCRANIANA NO BRASIL




Foi nos primórdios do regime republicano brasileiro que se intensificou a imigração no Brasil. Um decreto do Governo Provisório, baixado em junho de 1890, que vigorou por quatro anos, regulava a entrada dos migrantes, concedendo-lhes passagem gratuita com subvenções conseqüentes às companhias marítimas para o seu transporte e distribuindo aos recém chegados lotes de terras nas colônias estabelecidas pelo Governo Federal, de acordo com as administrações estaduais.

Assim sendo, a imigração dos ucranianos no Brasil em 1872, segundo o testemunho do Pe. Rafael Krynitzkyi, da Ordem dos Basilianos, um dos primeiros missionários ucranianos no Brasil. Entre eles havia uma família da Ucrânia Ocidental (Galícia), do município de Zólotchiv, encabeçada por Nicolau Morosovytch, que veio trabalhar nas fazendas de café do Estado de São Paulo. O Pe. Rafael se encontrou com ele, já velhinho, em 1914, em São Paulo. (Pe. V.N. Bureko – pág. 47.)

No entanto, as primeiras famílias ucranianas a chegarem em grupo ao Brasil foram oito famílias da Galícia Oriental, que chegaram no ano de 1891 e fundaram a colônia Santa Bárbara, perto de Palmeira, entre Curitiba e Ponta Grossa, no Estado do Paraná. (RCBU, Estética Gráphica, Curitiba, 1991).

Mas as maiores levas foram sem dúvida as de 1895, 1896 e 1897, quando chegaram cerca de 20.000 imigrantes aos portos de Paranaguá e Santos, sendo que em 1895 vieram da Galícia cerca de 5.500 ucranianos, desembarcaram em Paranaguá, e daí seguiram para os arredores de Curitiba. (Prof. O Buruszenko).

Dos que chegaram em 1896, 1500 famílias, ou seja, aproximadamente 8.000 pessoas se dirigiram a Prudentópolis e seus arredores, 800 famílias estabeleceram-se nos arredores de Marechal Mallet e Dorizon, 2.000 imigrantes fixaram-se na colônia de Água Amarela (hoje Antônio Olinto), 80 famílias em Jangada (União da Vitória), 200 famílias procuraram Iracema, região que mais tarde seria anexada ao Estado de Santa Catarina, fundando núcleos coloniais que até hoje subsistem. (Pe. V.N. Burko – pág. 49)

“Nos anos subseqüentes”, 1897-1899, desembarcaram no Paraná mais 300 famílias ucranianas quês posteriormente se fixariam nos estados de São Paulo e Rio Grande do Sul”. (Pe. V.N. Burko – pág 49)

“No começo deste século, o grupo ucraniano chegava a contar no Paraná cerca de 24.000 imigrantes, não sendo considerado um grande número dos que foram vítimas de epidemias ou pereceram de outros infortúnios.” (Prof. O. Boruszenko)

“De 1901 a 1907 a imigração ucraniana descresceu em ritmo. Nestes anos a média de pessoas que entravam no país, provenientes da Ucrânia, era de 700 a 1.000. O Estado preferido era ainda o Paraná. Alguns no entanto, procuraram os Estados vizinhos.

Mas uma onda de imigração em massa dava-se a partir de 1908 até 1914, constituída sempre, na sua maioria, de oriundos da Galícia. Serviu de motivo para esta nova grande leva a campanha brasileira para a construção da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande do Sul. Vendo a oportunidade de trabalho, com a requisição em massa de mão-de-obra, milhares de ucranianos deixaram o seu país, para obterem no Brasil melhores condições de vida e, se possível, terras baratas.

Formaram-se, então, novo núcleos coloniais nos Estados do Paraná e de Santa Catarina, como também no Rio Grande do Sul, onde se pode citar: Guarani, Campinas, Ijuí, Jaguari, Erechim.

De um total de vinte mil imigrantes chegados em 1908-1914, sabe-se que 18.500 fixaram residência nos estados do Paraná e Santa Catarina, indo os restantes para o rio Grande do sul e outros Estados. E assim, a imigração ucraniana no Brasil até 1914 elevava-se a 45.000 pessoas.

Após a I Guerra Mundial a imigração voltava a arrefecer-se. Desta vez o declínio era motivado também por razões políticas. De qualquer modo, o número dos chegados para o Brasil até a II Guerra Mundial não ultrapassou a cifra de 9.000 almas.

Em seguida a esta guerra, ou seja, a partir dos meados de 1947 até 1951, mais de 7 mil imigrantes ucranianos foram registrados em nossos portos... A maioria desta vez, dirigia-se para São Paulo, não faltando entretanto os que continuavam preferindo o Paraná ou Rio Grande do Sul. Grupos menores também estabeleciam-se também nos estados de Goiás, Minas Gerais e Rio de Janeiro”. (Pe. V.N. Burko – pág 49-50)




OS UCRANIANOS ORTODOXOS

Os ucranianos que chegaram ao Brasil pertenciam ao mesmo rito bizantino (também chamados grego, oriental ou ruteno), mas estavam divididos pelas jurisdições. Uns, a maioria, eram da Igreja Greco-Católica Ucraniana e pertenciam a jurisdição do Papa de Roma;também eram chamados uniatas, isto é, unidos a Roma. Esta união aconteceu no ano de 1596, na cidade de Brest Litovsk, sob o reinado de Segismundo III, da Polônia. Outros, a minoria, eram ortodoxos e pertencia a Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana, que reconhecia a autoridade do patriarca Ecumênico em Constantinopla (atual Istambul, na Turquia).

Os sacerdotes do rito bizantino podem casar-se, enquanto que os do rito romano (ou latino) não podem. No Brasil, esta diferença provocou muitas brigas e transtornos entre católicos ucranianos e os latinos. E também entre os ucranianos católicos e ortodoxos. Com este esclarecimento será mais fácil entender o problema da formação da Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana no Brasil.

Inicialmente, os ucranianos ortodoxos eram atendidos pelos padres da Igreja Greco-católica Ucraniana: Pe. Nikon Rozdolskyi (viúvo), que morreu no ano de 1906 e Pe. Paulo Petrytskyi (casado), que morreu dia 15 de fevereiro de 1932.

No entanto, os ucranianos ortodoxos começaram a chegar em maior número ao Brasil só após a I Guerra Mundial, a proclamação da independência da Ucrânia a 22 de janeiro de 1918, e sua posterior ocupação por exércitos estrangeiros.

O primeiro grupo organizado que chegou ao Brasil era liderado por Valentin Kuts (Smolá). E o primeiro padre ortodoxo ucraniano que chegou ao Brasil, aproximadamente no ano de 1926, foi o Pe. Nicolau Ziombra.

Os primeiros núcleos dos Ortodoxos Ucranianos surgiram em Dorizon, Antônio Olinto, Cruz Machado, Marco Cinco, Gonçalves Júnior, São Roque, Curitiba, Piraquara, Guajuvira, Iapó (Castro), Joaquim Távora, Nova Ucrânia e Maringá, e após a II Guerra Mundial também em Ponta Grossa e Palmital no estado do Paraná. Nos estado de Santa Catarina, nas colônias Iracema e Jangada do Sul, e na cidade de Porto União e suas adjacências. No Estado do Rio Grande de Sul, nas adjacências de Santa Rosa, Santo Ângelo e Porto Alegre, e após a II Guerra Mundial em Canoas. No Estado de São Paulo, na colônia Ucraniana em Rancharia, cujos integrantes, no entanto, migraram para o Paraná em 1936, onde fundaram a colônia Nova Ucrânia (município de Apucarana); após a II Guerra Mundial surgiram as Paróquias Ortodoxas de Osasco e São Caetano do Sul, na Grande São Paulo.




OS SACERDOTES ORTODOXOS




Como já vimos, inicialmente os ortodoxos ucranianos eram atendidos pelo padres Ucraíno-Católicos (do rito bizantino): Pe. Nikon Rozdolskyj e Pe. Paulo Petrytskyj, que atendiam a Paróquia de “São Miguel Arcanjo”, na Serra do Tigre, até sua morte.

Após a I Guerra Mundial, provavelmente em 1926, chegou ao Brasil o primeiro sacerdote da Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana, Pe. Nicolau Ziombra, que era casado. Sua esposa Zenaide ajudava-lhe no ensino das crianças. Ele atendia a Paróquia da Serra do Tigre e as colônias; Jangada do Sul, Antônio Olinto, Cruz Machado, Joaquim Távora e Iapó, onde faleceu em 1942.

No ano de 1931 chegou da China ao Brasil o Pe. Leôntio Struk com sua família. Primeiramente ele estabeleceu-se em São Paulo, mas devido as necessidades transladou-se para a colônia Marco Cinco, de onde atendia a colônia Jangada do Sul até a ano de 1936. De 1936 à 1939 atendia a paróquia “Espírito Santo” da colônia Jangada do Sul, e também Santa Rosa, Santo Ângelo e Porto Alegre – Rio Grande do Sul, Cruz Machado e Serra do Tigre – no Paraná, e Iracema – em Santa Catarina. Em 1939 transaladou-se para a colônia Gonçalves Júnior (município de Irati). De 1939 até a sua morte em 1942, atendia as colônias: Gonçalves júnior, São Roque, Joaquim Távora, Rancharia (SP) Nova Ucrânia e Apucarana.

No mesmo ano chega ao Brasil, enviado por sua Eminência Ioan Teodorovitch, metropolita da Igreja Ortodoxa Ucraniana nos Estados Unidos da América do Norte, o Pe. Gregório Onysczenko, que estabeleceu-se na colônia de Iracema. Este missionário, ao chegar ao Brasil, fundou na colônia Iracema a primeira paróquia oficial da Igreja Ortodoxa Ucraniana, a Paróquia “São Valdomiro”. Desde 1930 até 1942 ele fundou e atendia as paróquias de Curitiba, Guajuvira, Iapó, rancharia, Nova Ucrânia e Apucarana. Por motivos desconhecidos, no ano de 1942, afastou-se da Igreja Ortodoxa Ucraniana e pouco depois faleceu.

No ano de 1931, a pedido dos colonos de Gonçalves Júnior, foi enviado ao Brasil, pelo Metropolita Teodorovitch, o Protoieréi (Arcipreste) Dmytró Sidckyj. Este missionário fundou oficialmente outra Paróquia da Igreja Ortodoxa Ucraniana no Brasil, a de “São Pedro e São Paulo”, em Gonçalves Júnior, bem como a Paróquia de São Roque, município de Ivaí. Desde sua chegada até o ano de 1939 atendia as colônias: Gonçalves Júnior, Joaquim Távora e outras. Em 1939 transladou-se à colônia Iracema, e lá morreu em 1945, onde está enterrado./

No período de 1930 até 1938, sob a administração do Proto-Presbítero Dmytró Sidleckyj, auxiliado pelos padres: Nicolau Ziombra, Leôntio Struk e Gregório Onyszenko, foram fundadas 20 paróquias e missões da Igreja Ortodoxa Ucraniana no Brasil, nos seguintes Estados: Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Com o falecimento dos sacerdotes: Nicolau Ziombra, Leôntio Struk e Dmytró Sidleckyj, bem como o afastamento do Pe. Gregório Onyszczenko, a Igreja Ortodoxa enfraqueceu, a ponto de serem todas as paróquias e missões, de 1942 a 1947, atendidas por um único sacerdote, o Pe. Basílio Postolan, ordenado em 1941, no Uruguai, pelo Arcebispo Dom Nicolau (Solovei). O Pe. Basílio Postolan faleceu em 1986. Seus restos mortais jazem no cemitério de Gonçalves Júnior.

Após a II Guerra Mundial chegam ao Brasil os ucranianos da 3ª fase da imigração, e entre eles vários sacerdotes como o Protoieréi Pedro Dobrianskyj, Pe. Alexander Butkiw, Pe. Alipij Nesvydiw, Pe. André Lysenko e Pe. Paulo Bahniwskyj, que passaram a atender os ucranianos ortodoxos e a criar novas paróquias.

Em 1951 foi enviado ao Brasil, pelo Metropolita Ioan Teodorovitch, o segundo administrador, o Proto-Présbitero Filimón Kulczynskyj. O novo administrador, juntamente com os sacerdotes recém-vindos reorganizou a vida das paróquias existentes e fundou também novas paróquias. Passou a editar o jornal “Seara Ortodoxa”, preparar candidatos para o sacerdócio e organizar corais nas paróquias.

Em 1954, com a visita oficial do Metropolita Ioan, no Brasil, foram ordenados os padres: Mychajlo Kudanovytch, Volodymyr Schpak e Petró Mantchenko e foi convocado o I Concílio da Igreja Ortodoxa Ucraniana, quando foi fundada a Administração Geral da Igreja. A partir desse Concílio inicia-se a segunda etapa do crescimento da Igreja no Brasil.

Após a visita do Metropolita Ioan. Foram ordenados em São Paulo por Dom Ignatios Ferzli, Arcebispo Metropolitano da Igreja Católica Ortodoxa Antioquina na América do Sul, os padres: Fedir Kowalenko, Nicolau Schtscherbak, Iván Skrypnvk, Wasyl Petruk e Michail Dembickyj.

Porém, no final de 1960, começou uma grande reemigração dos ucranianos ortodoxos para os Estados Unidos da América do Norte e, com o reemigrantes saíram do Brasil os padres: Olexander Butkiw, Paulo Bahniwskyj, Michailo Kudanovytch, Fedir Kovalenko e Prot. Filimón Kulczynsj, passando a Igreja Ortodoxa por algumas dificuldades em virtude desta ausências.

Em 1970, foi enviado pelo Metropolita Ioan o Bispo Dom Iov (Skakalskyj), que estabeleceu-se em Curitiba. A sua chegada reavivou as paróquias do Brasil. Foi criado o Consistório (Administração Eparquial da Igreja) e ordenados os sacerdotes Volodymyr Hay e Petró Bednarskyj. O primeiro foi nomeado pároco da paróquia “São Waldemiro” em São Caetano do Sul e o segundo, pároco da paróquia “São Pedro e São Paulo” em Gonçalves Júnior. Dom Iov faleceu em 18/02/1974, sendo sepultado nos Estados Unidos.

Em 1975 o Pe. Volodymyr Hay foi consagrado bispo pelo Metropolita Mstyslav, sucessor do falecido Metropolita Ioan. No final do mesmo ano, o novo bispo ordenou sacerdote o seminarista Nicola Milus, vindo da Argentina, e recebeu no seio da Igreja Ortodoxa Ucraniana o Pe. Valdemiro Haraczuk. Dom Volodymyr Hay faleceu em 1977, e também foi sepultado nos Estados Unidos.

Em 1976 foi realizado o III Concílio da Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana na América Latina, na cidade de Encarnación, Paraguai.

Em 1977 faleceu Dom Volodymyr Hay, e após seu falecimento o Metropolita Mstyslav nomeou o Pe. Nicolas Milus como administrador da Igreja no Brasil e a partir de 1979 administrador da Igreja na América Latina. Sob a sua administração, no ano de 1983, foi convocado o Congresso das Paróquias Ortodoxas Ucranianas no Brasil e renovada a Administração Geral da Igreja no Brasil, por falta de bispo.

Em 1985, a Igreja Ortodoxa Ucraniana no Brasil foi visitada por Dom Volodymyr Didovytch, quando foi realizado em Curitiba o IV Concílio Eparquial. No mesmo ano, Eliseu Ferens e Eugênio Berbetz foram enviados ao seminário da Igreja Ortodoxa ucraniana nos estados unidos.

No ano de 1986 foi recebido na Igreja Ortodoxa Ucraniana no Brasil o Pe. Pedro Blachechen. Ele começou a atender as paróquias “São Miguel Arcanjo” e “São Demétrio”, em Curitiba, como também as paróquias em Jangada do Sul e Vila Zulmira, município de União da Vitória.

No ano de 1989 realizou-se o V Concílio da Igreja Ortodoxa Ucraniana na América Latina, em Encarnación, Paraguai, no qual foi aprovado o novo bispo da Eparquia, Dom Paísiy, consagrado por Dom Mstyslav, e também foi eleito o novo Consistório. Nessa ocasião, a Argentina, o Paraguai e o Brasil foram visitados por sua Eminência Dom Mstyslav. Dom Paísiy, por motivos de saúde, foi obrigado a deixar o Brasil e voltar aos Estados Unidos.

Nesse mesmo ano, Eliseu (Jeremias) Ferens foi ordenado sacerdote.

Em 1991 foram ordenados em São Paulo, por sua Eminência Dom Ignatios Ferzli, os seminaristas Eugênio Berbetz e Nicolau Hneda.

E setembro de 1993 realizou-se em Curitiba o VI Concílio da Igreja Ortodoxa Ucraniana na América Latina sob o patronato do metropolita Constantino, sucessor do metropolita Mstyslav, falecido em junho desse ano, e também com a participação do arcebispo Dom Antônio e do bispo Dom Paísiy. Os três dos Estados Unidos. No referido Concílio foi eleito e consagrado bispo da Eparquia o Pe. Eliseu (Jeremias) Ferens com o nome de Dom Jeremias e com sede em Curitiba.




CONCLUSÃO




Nos dias de hoje, a Igreja Ortodoxa Autocéfala Ucraniana no Brasil é constituída de 16 paróquias atuantes, a citar:

No Estado do Paraná: 1) Catedral “São Demétrio”, 2) Paróquia “São Miguel Arcanjo” em Curitiba, 3) Paróquia “São Jorge Protetor” em Ponta grossa, 4) Paróquia “S.S Apóstolos Pedro e Paulo” em Gonçalves Júnior (Irati), 5) Paróquia “Espírito Santo” na colônia Nova Ucrânia (Apucarana), 6) Paróquia “Santa Virgem” em Apucarana, 7) Paróquia “São Miguel Arcanjo” em Palmital, Cool Paróquia “São Nicolau” em Joaquim Távora, 9) Paróquia “Adormecimento de Nossa Senhora” em Xaxim-Jangada (Município de General Carneiro), 10) Paróquia “São João Batista” em Vila Zulmira (União da Vitória);

No Estado de Santa Catarina: 1) Paróquia “Espírito Santo” em Jangada do Sul (Porto União), 2) Paróquia de “São Valdomiro Magno” em Papanduva;

No Estado do Rio Grande do Sul: 1) Paróquia “Santíssima Trindade” em Canoas ;

No Estado de São Paulo: 1) Paróquia “São Waldomiro” em São Caetano do Sul e 2) Paróquia “Santa Virgem” em Osasco.

Essas paróquias são atendidas pelo Bispo Dom Jeremias Ferens e seis sacerdotes: Proto-Presbítero Nicolas Milus, Arcipreste Pedro Blachechen, Arcipreste Valdemiro Haraczuk, Pe. Alexandre Kostenko e Pe. Paulo Guilewicz.

Junto A Igreja Ortodoxa ucraniana no Brasil a “União da Irmandades Femininas Ortodoxa Ucranianas no Brasil”, com filias nas Paróquias e grande atuação caritativa, bem como a “Liga da Juventude Ortodoxa Ucraniana no Brasil”.

O curso Teológico, anteriormente organizado, formou quatro seminaristas. Agora está sendo organizado o Seminário Teológico Ortodoxo Ucraniano na América do Sul, com sede em Curitiba.

Bibliografia

“Bíblia de Jerusalém”.

“Crônica dos Tempos Passados” Editora “Veselka” Kyiv –1982.

“Esboço da Igreja Ortodoxa Ucraniana”. Consistório da I.O.A.U., Austrália –1988.

“História da Civilização Antiga e Medieval“ Nº 3. Universidade de São Paulo – 1942

Natália Polonska-Vasylenko: “Alicerces Históricos da I.O.A.U.”Munique”–1964.

Pe. Valdomiro N. Burko, OSBM: “A Imigração Ucraniana no Brasil”. Curitiba – 1963.

Prof. Oksana Boruszenko: “Os Ucranianos”, Curitiba – 1995.

Rev. George Fedoriv, Dr. Th.: “História da Igreja na Ucraniana”. Toronto –1967.


http://www.igrejaortodoxa.org.br/paroquia/

Em 1931, o Pe. Gregório Onyschenko organiza a Paróquia ortodoxa ucraniana no Bairro do Portão aonde é rezada a primeira missa. O bairro do Portão ficava muito distante dos Bairros das Mercês e do Bigorrilho, aonde residiam muitas famílias de imigrantes ucranianos vindos da "Bukovyna" (província sul-ocidental da Ucrânia) razão pela qual o Bigorrilho antigamente era conhecido como bairro "Bukovyna". Como estas pessoas tinham muitas dificuldades de chegar até o bairro do Portão para assistir às Liturgias, seguiram os conselhos do Pe Gregório Onyshchenko, e no dia 12 de fevereiro de 1933 reuniram-se na casa do sr.  Haurylo  Firtchuk para conversar sobre este assunto, e foi decidido que seria construída uma Igreja Ortodoxa Ucraniana, no terreno doado pela sra Irena Melhnetchuk, imigrante de Bukovyna.



Na ocasião a sra Irene falou " Estou doando o meu lote de 22 x 50m, para a construção da futura Igreja Ortodoxa Ucraniana, com a condição de que nesta Paróquia, apenas os padres ortodoxos celebrarão as missas, e nunca os padres católicos. E também reservo-me o direito de morar neste lote até a minha mortel" Esta reunião foi presidida pelo sr Prokip Morkotun, secretariada pelo sr Sérgio Chomen , e contou com a presença dos Srs Haurylo Firtchuk; Severino Bukalovskyi; Dmytro Mykolaitchuk; Ivan Baranovskyi; Mykola Shevtchuk; Stanislau Kotsan; José Kuzma, e das sras Irena Melhnetchuk e Anna Zembovytch.

A primeira Divina Liturgia foi celebrada no dia 06 de agosto de 1933 pelo Padre Gregório Onyschenko , na Igrejinha ainda inacabada. Paralelamente à construção da Igreja, também foi construída no mesmo lote, uma residência de 3m x 3m para o sacerdote. A construção terminou em fevereiro de 1934.

Com o surgimento da Paróquia São Demetrio de Solum, outros povos de ascendência ortodoxa, tais como sírios, libaneses, gregos, russos, bielorussos, romenos e macedônios, passaram a freqüentar a Paróquia participando das celebrações religiosas, unidos pela mesma fé ortodoxa.


--------------------------------------------------------------------------------
Párocos que atenderam até 1986



O Pe. Onyschenko atendeu a paróquia até 1936, quando viajou para o interior, depois o Pe. Dmytro Sidleskyi passou a atendê-la.


Del 945 a 1948, o Pe. Basílio Postolan era o único sacerdote que itendia as 16 paróquias da Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana no Brasil. No ano de 1954 o Metropolita IOAN Theodorovitch elevou-o a Arquimandrita.
 
No ano de 1951 o Pe. Olexander Butkiv atendeu por um breve período a paróquia do Santo Mártir Demétrio de Solum. Nesse período o Coral foi reorganizado pelo sr. Paulo Praudiuk. De 1951 a 1955 a Paróquia foi atendida pelo Pe Leon Struk.
 
O Rev. Pe. Filimón Kulczynskyj veio do Canadá com sua família no ano de 1951. Em 1952 foi elevado a Protopresbítero, premiado com a mitra e nomeado por Dom IOAN Theodorovitch como Administrador da IOAU no Brasil. Sua primeira medida foi convocar o Primeiro Congresso Ortodoxo Ucraniano das Paróquias existentes no Brasil, realizado nos dias 28,29 e 30 de março de 1952 na Cidade de Curitiba, PR. Neste Congresso ficou decidido que todas as Paróquias Ortodoxas Ucranianas existentes no Brasil formarão a Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana no Brasil, e que o presidente de sua Diretoria Geral deverá ser o Administrador nomeado pelo Metropolita. A segunda medida importante foi a convocação do Congresso Extraordinário da IOAU no Brasil, realizado em Curitiba, PR, em Junho de 1953, no qual ficou decidido sair da jurisdição do Metropolita POLICARPO e voltar à jurisdição do Metropolita IOAN (Theodorovich), o primeiro Hierarca da IOAU no Brasil. Esta decisão anulou a decisão do Sínodo da IOAU na Diáspora, realizado na Europa em 14 de Janeiro de 1952, no qual ficou decidido que o Metropolita POLICARPO assumiria a liderança da IOAU no Brasil a partir de 1953. O Prot. Pe. Filimón Kulczynskyj ficou no Brasil até o ano de 1962. Faleceu em 1972 nos EUA, e foi sepultado em Curitiba. Ele celebrou sua primeira Divina Liturgia na Paróquia São Demétrio no dia 14 de outubro de 1951. No dia 11 de novembro de 1951 foi realizada a festa do padroeiro, e a Divina Liturgia foi celebrada por quatro sacerdotes: 01) o Administrador Geral da Igreja, Protopresbítero Pe. Felimón Kulhtchynskyi; 02) Rev. Hieromonge Pe. Basílio Postolan; 03) Protoierei (Arcipreste) Pe. Olexander Butkiv; 04) Reverendo Pe. Alipi Nesvydiv. No dia seguinte, o Administrador Protopresbítero Pe. Felimon Kulhtchynskyi convocou uma Assembléia da Igreja Ortodoxa Autocéfala do Brasil, da qual participaram sacerdotes e paroquianos das Mercês e do Portão, e nessa Assembléia decidiram que teriam que convocar um Concilio para a resolução dos problemas. O Primeiro Congresso Ortodoxo Ucraniano das Paróquias existentes no Brasil, realizou-se nos dias 29, 30 e 31 de março de 1952. Nessa época o Coral foi reorganizado pelo sr Basílio Czmyr que foi o regente da Paróquia até seu falecimento ocorrido no dia 4 de novembro de 1995.

 


--------------------------------------------------------------------------------

No dia 22 de agosto de 1954, Dom IOAN Teodorovytch, Metropolita da Igreja Ortodoxa Ucraniana nos EUA, primeiro hierarca e fundador da Igreja Ortodoxa Autocéfala Ucraniana no Brasil celebrou a Divina Liturgia Pontificai, concelebrada com os sacerdotes: 01) Prot. Pe. Felimon Kulczynskyj; 02) Protoierei Pe. Olexander Butkiv; 03) Pe. Mykhailo Kudanovytch; 04) Pe. Paulo Bahnivskyi; 05) Pe Volodymyr Shpak e 06) Pe. Petro Mantchenko.

 

A partir do dia Io de Outubro de 1955 a Paróquia passou a ser atendida pelo Pe. Basílio Postolan até o dia de sua morte em 21 de Setembro de 1986.

 

Em 1961 o Prot. Pe. Pedro Dobrianskyj veio de São Paulo com sua família, e passou a atender a Catedral São Demétrio, até 1964, ano em que faleceu. Com ele foi sepultada parte importante da história da Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana, uma vez que ele foi ordenado Padre na Ucrânia, em 1921, quando foi criada a Igreja Ortodoxa Autocefálica Ucraniana. Ele chegou ao Brasil, em S. Paulo, no ano de 1948 exercendo a função de Administrador Geral da IOAU no Brasil até o ano de 1952.

 

Outros Párocos que atenderam a Catedral São Demétrio de Solum: Pe. Nicolau Stcherbak: de 1964 a 1967 e Pe. Pedro Blachechen: de 1986 a 1989.

 

Dom IOV (Skakalskyj) Arcebispo da Igreja Ortodoxa Ucraniana no Canadá, foi o primeiro Bispo Eparca da IOAU da América do Sul, chegou ao Brasil em 1969 - neste ano a Paróquia torna-se Catedral - e estabeleceu-se em Curitiba. Foi ele quem convocou o I Concilio da IOAU na América do Sul, no qual participaram Delegados das IOAU na Argentina, Brasil, Paraguai e Venezuela. Neste Concilio foi instituída a Eparquia Sul Americana da IOAU na América do Sul e foi aprovado o primeiro Estatuto da Eparquia Sul Americana da IOAU na América do Sul. Também foi eleito o primeiro Consistório da IOAU com sede em Curitiba e foram nomeados os Administradores para cada País. Dom IOV (Skakalskyj) faleceu no dia 18 de Fevereiro de 1974 em Curitiba, e seu corpo foi transladado para os EUA e sepultado no Cemitério Ortodoxo de South Bound Brook, Newjersey.


--------------------------------------------------------------------------------
 A Construção da nova Igreja

 

Em função do tamanho pequeno da Igreja no Bairro das Mercês, todos esforços possíveis foram feitos para a aquisição do novo lote aonde foi construída a atual edificação da Catedral São Demétrio. Na realidade foram adquiridos dois lotes de 22x50, na Av. Cândido Hartmann, Bairro Bigorrilho, no ano de 1955. Parte do pagamento destes lotes foi efetuado com a venda do lote anterior aonde estava localizada a antiga igreja.

 
Durante o desmonte da capelinha no Bairro das Mercês no ano de 1956, para transportá-la ao lote recém adquirido, num pilar murado, foi encontrada uma folha de papel encerada, na qual constava uma lista dos fundadores que estavam presentes no assentamento da primeira pedra fundamental, a saber: sr. Demétrio e sra. Vasselyna Mykolaitchuk; sra Irana Melhnetchuk; sr. Nicolau e sra. Maria Shevtchuk; sr. Haurylo e sra. Vasselyna Firtchuk; sr. Severino e sra. Efrossinia Bukalowskyi; sr. Ivan e sra. Kalyna Stoian; sr. Havrylo e sra. Melania Serdiuk; sr. Ivan e sra. Olena Baranovskyi; sr. Procópio e sra. Lídia Morkotun; sr. Pedro Hladyi; sr. José Kuzma; sr. André Shvets; sr. Sérgio Chomen; sr. Nicolau Trokhymtchuk; sr. Nicolau Kovalhskyi; sr. Paulo Bulyk; sr. Alexander Sheremeta; sr. Stanislau Kotsan; sr. Pedro Oleksiuk; sr. André Kotsan; sr. André Oryshtchyn (Oresten); sr. Ivan Goguel; sr. Miguel Onyshkiv.
 
O Comitê da Construção da Igreja foi composto pelos srs.: Presidente de Honra: Protopresbítero Pe Felimon Kulczynskyi; Presidente: José Dejneka; Vice Presidente Ivan Skrill; Membros: Gregório Baraniuk; Miguel Reshetnyk; Miguel Hollub; Basílio Czmyr; Eng° Theophil Hryhorczak.
 
Após a Divina Liturgia de 13 de Maio de 1956, foi abençoada a área para a construção da futura Igreja, seguida da primeira grandiosa festa, e no dia 04 de Novembro de 1956, no dia da Festa do Padroeiro, foi feita a bênção da pedra fundamental.
 

--------------------------------------------------------------------------------

O projeto da Igreja foi feito pelo Eng° Theophil Hrehorczack. Os ferros para a nova obra foram doados pelo sr. Basílio Kowaltschuk. No início de 1957 começaram a trazer os tijolos e todos os trabalhos de construção eram controlados pelo Eng° Nicolau Waszczynskyj, que foi quem doou a Cruz de Sete Braços que adorna a cúpula da Catedral São Demétrio, e disponibilizou alguns funcionários da Sociedade Araguaia Ltda., empresa da qual era sócio proprietário, para a conclusão da obra, o que ocorreu em Setembro de 1960. Conforme pode-se observar na foto, a Cruz está sendo levada ao topo da Igreja pelo sr Andrian Dejneka."
 
Em 1958 a composição do Conselho Paroquial era: Presidente de Honra: Prot. Pe. Felimon Kulczynskyj; Presidente: André Dejneka; Vice Presidente: André Tchaika; Secretário: Sérgio Savitskyi; Tesoureiro: Basílio Czmyr; "Stárosta" (responsável pelos bens da Igreja: André Korzh; Irmãos Maiores: I. Klymtchuk, Antônio Kornyi, Ivan Stoian, Basílio Tymchenko.
 
Os membros do Comitê de Construção da Igreja eram: Presidente de Honra: Prot. Pe. Felimon Kulczynskyj; Presidente: Miguel Hollub; Tesoureiro: Ivan Skrilh; Membros: Cel. André Dollud; Miguel Reshetnyk; Ivan Skrilh; Gregório Baranhuk; Basílio Czmyr. Membros da Comissão Fiscal: Cel. André Dollud; Ivan Nedbailhuk, Ivan Dollud Levtchuk.
 
Diretoria Paroquial da Catedral São Demétrio eleita no dia 29 de Março de 2008: Presidente de Honra: Bispo Eparca Dom Jeremias Ferens; Presidente: Victor Waszczynskyj; Io Vice Presidente: Eugênio Czmyr; 2o Vice Presidente: Adailton Marques; Io Secretário: Jeroslau Volochtchuk; 2o Secretário: Luiz Marchand; Ia Tesoureira: Maria Kowaltschuk Siryk; 2a Tesoureira: Tecla Majczuk de Lima; Encarregada(s) de Arrecadações/doações: Swetlana D. Daguer e Maria Kowaltschuk Siryk; Conselho Fiscal: Swetlana Daguer, Bogdano Bundza, Lídia Tchaika, Hosana Rylo; Conselheiros: Alexandre Czeczko, Angelina Czeczko, Alberto Garcez Duarte Filho, Wolodymyr Kulczynskyj; Membros: Eugenia Stefanovicz, Helena Fedosenko, Eudokia Levtchuk, Lauro Preima, Alex Overcenko, Adriano Kolitski, Fábio Benvenutti, Iwan Fedosenko.
 
Hoje, a Catedral São Demétrio é parte integrante da UIP (Unidade de Interesse de Preservação) e faz parte do roteiro turístico de Curitiba, sendo ponto de parada obrigatória da linha de ônibus de Turismo, especialmente criada para atender os visitantes de todos os lugares, do Brasil e do Exterior. Com isso passou a ser mais conhecida e procurada não apenas por curiosos, mas também por estudiosos como o arquiteto Fábio Domingos Batista, que em conjunto com as arquitetas Marialba Rocha Gaspar Imaguire e Sandra Corrêa, coordenados pelo Prof. Key Imaguire, estão trabalhando numa pesquisa sobre as Igrejas Ucranianas. Nesta pesquisa, a Catedral São Demétrio está classificada como notável, por seguir fielmente os preceitos da arquitetura bizantina, com sua planta criada no formato de uma cruz grega, tendo a cúpula colocada bem no centro desse cruzamento, com um detalhe, a cúpula tem um tamanho menor e um acabamento singular, razões que levaram este grupo de pesquisadores a dar esta classificação. À noite, ela destaca-se por uma iluminação frontal vinda de um poste com um holofote voltado exclusivamente para ela, e colocado pela Prefeitura Municipal de Curitiba gratuitamente, no intuito de ressaltar sua beleza arquitetônica.
 


 


--------------------------------------------------------------------------------
Irmandade Feminina Santa Maria Madalena



A sra. Irena Melhnetchuk e a sra. Anna Zembovitch fundaram a Irmandade Feminina Santa Maria Madalena junto à comunidade paroquial da Catedral São Demétrio. A Irmandade Feminina trabalhava ativamente nas festas, mantendo a Igreja sempre limpa e bonita, adornada com toalhas bordadas com motivos ucranianos, vasos de flores, etc. Juntamente com o sacerdote, sempre conversavam, para ver o que é melhor para a Paróquia e os paroquianos, tratando de melhorar cada vez mais.

Quando a Capelinha das Mercês foi desmontada para ser transferida para o Bigorrilho, no novo lote adquirido, foi encontrado num pilar uma folha de papel com a lista das primeiras doadoras e membras ativas da Irmandade, a saber: 01) sra. Irene Melhnetchuk; 02) sra. Vassylyna Mykolaitchuk; 03) sra. Maria Shevtchuk; 04) sra. Vassylyna Firtchuk; 05) sra. Eufrossinia Bokalovskyi; 06) sra. Kalyna Stoian; 07) sra. Melania Serediuk; 08) sra. Olena Baranovskyi e 09) sra. Lidia Morkotun.

No dia 10 de Junho de 1956, realizou-se a primeira Assembléia Geral da Irmandade Feminina Santa Maria Madalena, junto à Paróquia de São Demétrio de Solum, no Bairro Bigorrilho, e da qual participaram as seguintes irmãs: 01) Irene Melnetchuk; 02) Vassylyna Mykolaitchuk; 03) Eudokia Levtchuk; 04) Iustina Holub; 05) Elizabeta Ostrianskyi; 06) Vira Kulhtchynskyi; 07) Anna Barancevytch; 08) Eugenia Dollud; 09) Daria Kryva; 10) M. Goguelh; 11) Melania Serediuk; 12) IreneDejneka: 13) DariaKornyi; 14) AnnaTchaika; 15) Lídia Dejneka; 16) Maria Sholokh; 17) Nina Iakutovytch e 18) Paulina Tchaica.

Na época da construção no novo templo, a Irmandade Feminina Santa Maria Madalena adquiriu três paramentos, utensílios sacerdotais, ornamentou o Livro do Evangelho, bordou toalhas para o altar e "analois" , adornou a Igreja com um par de estandartes de alto valor artístico, e tudo o mais que é necessário para a celebração da Divina Liturgia. Naquela época a Diretoria estava assim composta: Presidente (de acordo com o estatuto era o Pároco) Prot Pe. Felimon Kulczynskyj; primeira vice-presidente: Elisaveta Ostrenkyi;   segunda vice-presidente: Melania Serediuk; administradora: Justina Holub; tesoureira: Vassylyna Mykolaitchuk; vice-tesoureira: Lídia Dejneka; secretária: Paulina Tchaika; Membros da Diretoria: Pani Matka Vira Kulczynskyj; Marta Kornyi; preparação das prósforas "proskurnytsia": Irene Dejneka; Conselho Fiscal: Anna Barancevytch, Daria Kryva, Anna Huzienko; Diretora de Honra: Irene Melhnetchuk.

Importante destacar o trabalho da sra. Anna Mazepa, nascida na Colônia de Gonçalves Jr em 1917, chegou em Curitiba com a família no ano de 1958, e desde aquele ano até o ano de 2000 dedicou praticamente sua vida para as atividades da Catedral São Demétrio. Pouquíssimos paroquianos dedicaram tanto tempo de suas vidas às atividades paroquiais. Desde aquela época ainda temos poucas irmãs que continuam se dedicando com seu trabalho e canto para o bem estar da Igreja, são elas: Eudokia Levtchuk, Paulina Tchaica Milus, Tecla Majczuk de Lima, Helena Fedosenko, Olga Voitechen, Irene Zadorozny, Maria K. Siryke Maria Volochtchuk. A todas elas o nosso agradecimento público e especial com o reconhecimento de que sem elas com certeza a Comunidade Paroquial São Demétrio não seria a mesma.

 


--------------------------------------------------------------------------------

 

A Irmandade Feminina Santa Maria Madalena continua suas atividades até hoje, trabalhando junto ao Pároco e à Catedral São Demétrio, no exercício pleno de suas funções. Uma das atividades principais é a confecção e venda de varénequis, que são responsáveis pela geração de recursos para custear as necessidades básicas da Igreja, tais como pagamento de luz, água e telefone. A atual Diretoria está assim composta: Presidente: Natalia Waszczynskyi; Ia Vice-Presidente: Eugenia Stefanovicz; 2a Vice-Presidente: Tecla Majczuk de Lima; 1a Secretária Tânia L. Marques; 2a Secretária: Olga Nadia Kalko; 1a Tesoureira: Lydia Tchaika; 2a Tesoureira: Paulina T. Milus; 3a Tesoureira: Olga Woitechen; Conselho Fiscal: Helena Fedosenko, Swetlana Daguer, Raissa H. Kaled; Assistência Social e Cultural: Angelina Czeczko, Maria Volochtchuk, Maria Kowaltschuk Siryk, Deonisia Zimovski Germani, Olga Nadia Kalko, Eudokia Lewtchuk, Isolde Overchenko; Membros: Irina Swetlana Kalko Fernandes, Odete Harbar Wowk, Valentina Plusek, Eleutéria Kirdziej, Valéria Hubar, Ludmila Hubar, Irene Zadorozny, Marta Kolitski, Iracilda Preima, Eliceia Zimovski Brasil.

 


--------------------------------------------------------------------------------

 


Membros da Irmandade Feminina Santa Maria Madalena

............  


Membros que se destacaram pelos seus trabalhos e dedicação, não citadas até o presente momento, desde a fundação até hoje:
* Ksenia Bilonicki, Daria Lychatchinski, Nadia L. Kerecuk, Anna Czmyr, Bárbara Majczuk, Maria Klymczuk, Olga Vitoshynskyi, Raissa Kavaleridze, Elena Sereda, Nina Dmitrachenko, Nina Fedorczack, AlaKrywoi,Anna Krywoi, Maria Hubar, Anna Serbenenko, Frosia Stoian, Eugenia Dollud, Eudokia Waszczynskyi, Maria Kornyi,

* Anna Baraniuk, Alexandra Kowaltchuk, Panhi Matka Anna Blachechen, Anna Shafranska Blachechen, Anna Tatarchenko, Hanna Tatarchenko,Anna Bonz, Anna Sototska,Anna Konczak, Anastasia Klymczuk, Claudia Milus, Barbara Stefanovicz, Catarina Bundza, Panhi Matka Catarina Dobrianska, Catarina Ratkowska, Dominiquia Kornyi, Halha Korzh, Elena Baranowska,
 
* Eudokia Demeterco, Elisabeta Pawlowytch, Eugenia Mazepa, Emilia Kwasnytsia, Eugenia Witryk, Eva Schymlyi, Efronia Bondaruk, Helena Reva, Elena Jacubiv, Estefania Iurtchenko, Irene Zimovska, Jaroslawa Shkilhnyi, Justina Harbar, Cristina Rogulha, Lidia Sklhar, Ludmila Brylynska, Lúcia Sereda Puzhawska, Maria Siryk, Maria Demtchuk,
 
* Maria Cherchodin, Maria Dzwinkiwska, Maria Goguelh, Maria Kohut, Maria Korzh, Maria Lychatchynskí, Maria Pawlowytch, Maria Sawytska, Maria Skrilh, Maria Czerbak, Maria Sholokh, Maria Skripets, Maria Zadorozny, Maria Studyi, Melania Protsek, Marta Stoitchan, Michalina Czmyr, Nadia Kanawalowa, Olga Anna Kalko, Natalia Sereda,

* Olga Komarowska, Olga Trokhymtchuk, Olga Witoshynska, Olga jedrzejczyk, Orli Zimowska, Paraska Hudik, Paraskewia Sheremeta, Paraska Dejneka, Pelaguia Prowoziuk, Rosalia Huzienko, Rosalina Tchowhan, Sofia Sereda, Sofia Huzienko, Sofia Olyinik, Stela Stoitchan, Zenah Tchaika,  Claudia Wasczenko, Tekla Szyraiw.

 


--------------------------------------------------------------------------------
Liga dos Jovens Ortodoxos Ucranianos e Catequese




Enquanto seguia a construção na nova Igreja, na pequena construção ue fica ao lado da Igreja, na "Domiuka", o Prot. Pe. Felimon Kulczynskyi expandia as atividades paroquiais, criando a Liga dos Jovens Ortodoxos Ucranianos, e chamando pessoalmente as crianças de casa em casa, para a catequese, no intuito de agrupar os jovens junto à Igreja.
 
No caso da Liga dos Jovens o plano de trabalhos seguia a seguinte programação: Oi) edição de boletins informativos; 02) discursos; 03) discussões sobre temas religiosos e eclesiásticos; 04) tardes literárias; 05) divertimentos; 06) bailes; excursões, etc. A primeira Liga dos Jovens foi composta de: 01) presidente: Eugenia Kohut; 02) vice-presidente: Paulina Tchaica; 03) secretária: Oksana Stryzhakovskyi; 04) organizadora: Halha Ostrenski; 05) tesoureira: Lídia Dejneka.

No dia 27 de Maio de 1999, foi fundada a Juventude Espírito Santo - JES - junto à Catedral São Demétrio, composta por pelos seguintes membros: Célia Janiski; Priscila Lecink; Uliana Casagrande; Jorge Luiz Slobodaniuk; Ana Paula Souza; Alexandre Casagrande; Valdemar Karras; e como convidado de honra, Dom Jeremias Ferens. Nos dias 21 e 22 de Julho de 2001, a JES realizou o Congresso da Juventude Ortodoxa Ucraniana do Brasil, Na Catedral São Demétrio, em Curitiba, PR, reunindo 88 participantes do Brasil, Paraguai, Estados Unidos e Canadá. Nos dias 20 e 21 de Julho de 2002, a JES em conjunto com a Juventude Ortodoxa Sírio Libanesa organizou um belíssimo Congresso da Juventude Ortodoxa Ucraniana, na Paróquia Ortodoxa Antioquina São Jorge, em Curitiba, PR, com a participação de 59 jovens. Nos dias 15 e 16 de Fevereiro de 2003, foi organizado um frutuoso retiro espiritual na cidade de São José-SC, com a participação de 60 representantes do Brasil e Paraguai. E nos dias 16 e 18 de Julho de 2004, na Casa de Retiros Mossunguê, em Curitiba PR, o novo Congresso contou com a participação de 48 jovens.


Entre as atividades promovidas pela JES, destacaram-se as campanhas destinadas a auxiliar os idosos do Asilo Nossa Senhora do Amparo na Colônia Marcelino, PR, e em Casas de recuperação de dependentes químicos em Curitiba PR, aonde foram doadas cestas básicas, roupas, presentes de Natal e de Páscoa.



A JES se fez presente enviando delegados representantes nos Congressos da AJUB (Associação da Juventude Ucraíno Brasileira), realizados em Ponta Grossa e Rio Azul no Paraná, e em Papanduva, Santa Catarina; e no Io Congresso da Juventude Ortodoxa Ucraniana realizado no Paraguai na Cidade de Capitan Miranda - Itapua.

A última reunião da Juventude Espírito Santo foi realizada no dia 03 de Dezembro de 2005.

Em função da carência de candidatos para ministrar as aulas de catequese, o último grupo de catequese foi organizado no ano de 2004 pelo jovem Rodrigo Petrovski.
 


--------------------------------------------------------------------------------
Obras Realizadas


Nova Domiuka e toiletes (aonde hoje está a churrasqueira e o Salão Paroquial): Em função do movimento cada vez maior da vida paroquial, foi necessário construir toaletes e uma nova domiuka. Este projeto foi executado pelo sr Ivan Levtchuk e financiado pelo sr Basílio Czmyr. Na época, a presidente da Irmandade Feminina era a sra. Nina Fedorczak.



Nova cozinha, Salão Paroquial, calçamento ao redor da Catedral: a Irmandade Feminina Santa Maria Madalena, presente quase que diariamente na paróquia, reunindo-se freqüentemente para preparar e confeccionar os "varénequis", uma das principais fontes de renda para promover as melhorias na Igreja, tomou as rédeas para a construção de uma nova cozinha, e juntamente com o "Brátsvo" executaram as novas obras.

 

 
Quem vivenciou a vida paroquial desde sua fundação até 1992, viu de perto e sentiu na pele o benefício dessas novas obras. Antigamente a cozinha era simplesmente um barracão, sem água e totalmente improvisado, dentro das condições permitidas na época. À medida que o tempo avançava, o sr José Dejneka, transformou o velho barracão "cozinha", numa cozinha aconchegante de madeira, aonde não chovia mais, e aonde havia água encanada para lavar a louça.
 
Nessa época, o Eng° Alexandre Czecko (então presidente da Diretoria Paroquial) juntamente com o sr Basílio Czmyr, organizaram o início da construção atual salão de festas. Diariamente com a presença e supervisão constantes do sr. José Dejneka de sua esposa Maria Kowaltchuk. Siryk e do Eng° Alexandre Czeczko, as novas obras avançaram conforme o cronograma e foram inauguradas em 1992.

  

 


--------------------------------------------------------------------------------

 


 
Bispo Eparca Dom Jeremias Ferens

 


Dom PAISSIO (Vasylh Ivaszczuk) consagrado pelo Metropolita Dom MSTYSLAV e confirmado pelo V Concilio da IOAU na América do Sul, realizado na Cidade de Encarnación, Paraguai, no dia 30 de Julho de 1989 foi o quinto Eparca da IOAU na América do Sul. Após passar breve período em Buenos Aires, morou em Curitiba por pouco tempo, uma vez que em função de sua frágil saúde, teve que retornar aos EUA Dom PAISSIO ajudava seu Rebanho tanto materialmente quanto espiritualmente, e graças a esta ajuda, a IOAU no Brasil comprou a casa ao lado da Catedral São Demétrio com o objetivo de transformá-la em Residência do Bispo e Seminário dos Santos Cirilo e Metódio, os mestres dos eslavos.
 
Dom PAISSIO participou do VI Concilio Eparquial, realizado no dia 18 de Setembro de 1993, em Curitiba, presidido pelo Metropolita da IOAU nos EUA e Diáspora, Dom CONSTANTINO, e juntamente com Sua Eminência Dom ANTÔNIO, Arcebispo da IOU nos EUA, consagraram o Bispo Dom Jeremias/FERENS/, como o sexto Bispo Eparca da IOAU na América do Sul, no dia 19 de Setembro de 1993. Dom PAISSIO faleceu no dia 3 de Fevereiro de 1998, e seu corpo está sepultado no Cemitério Ortodoxo Ucraniano de South Bound Brook, Newjersey, EUA.
 
Até a data de sua Sagração Episcopal, ou seja, desde 1989, sua Exca Dom Jeremias exerceu as funções de Pároco da Paróquia São Miguel Arcanjo, da Catedral São Demétrio, ambas em Curitiba, bem como da Paróquia São Valdomiro Magno em Papanduva-SC, sua terra natal.

Sua formação ortodoxa religiosa foi concretizada no Seminário Ortodoxo de South Bound Brook no período de 1985 a 1989 antes de sua ordenação sacerdotal, que ocorreu no dia 29 de Janeiro de 1989 nos EUA.

Desde sua Sagração Episcopal, a IOAU na América do Sul tem experimentado um período de revitalização, através de suas visitas pastorais, e constante representação da IOAU junto a chefes de Estado de diversos países e representantes do Clero de diversas denominações, desde sua mais alta hierarquia, como a visita ao Patriarca Bartolomeu I realizada entre 08 e 14 de Março de 1995, até outras solenidades no Brasil, EUA, Canadá e Europa.

 


--------------------------------------------------------------------------------

 

Graças a esse relacionamento, percebe-se que o diálogo entre as religiões católica, protestante, evangélica, anglicana, entre outras, tem evoluído a ponto da Catedral São Demétrio ser anualmente escolhida para celebrar a Abertura da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, movimento iniciado pelo MOVEC -Movimento Ecumênico de Curitiba (Curitiba) que vem se fortalecendo a cada ano que passa.

Além deste movimento, Dom Jeremias participa ativamente das peregrinações aos lugares santos citados na Bíblia, tais como a Grécia, Turquia, Síria, Líbano e Jordânia, e de retiros promovidos pela TLIG (True Life in God) "Verdadeira Vida em Deus).
 
As peregrinações ocorrem de dois em dois anos, e os retiros também, sendo que ambos se intercalam. Este grupo vem conquistando cada vez mais adeptos no mundo todo, pois sua fundadora, a sra Vassula Rhyden, acompanha anualmente estes grupos. Desde o ano de 1985 ela vem recebendo mensagens de Cristo, que são publicadas mensalmente no Boletim da TLIG, e em mais de dez livros editados em diversos idiomas. Em função de sua simpatia para com Dom Jeremias, ela fez questão de visitar a Catedral São Demétrio no dia 05 de Abril de 2008, logo após o retiro internacional da TLIG que aconteceu Balneário Camboriú, SC.
 
A sra. Vassula foi recebida pela Comunidade Ucraniana local, na Igreja, e numa palestra proferida na SUBRAS (Sociedade Ucraniana Brasileira), cujo Presidente Dr. Roberto Oresten agradeceu e ofereceu como presente belíssimas interpretações do Coral e do grupo de Danças Barvinok, o que deixou toda a comitiva da sra. Vassula e os participantes da palestra, encantados e emocionados.


--------------------------------------------------------------------------------

Nota da Comissão Organizadora dos 75 anos da Comunidade Paroquial da Catedral São Demétrio
Neste aniversário de 75 anos da Comunidade Paroquial da Catedral São Demétrio, este breve histórico teve o intuito de relembrar e homenagear todos nossos queridos paroquianos, paroquianas, amigos, amigas, que transformaram a saudade e o amor pelos seus pais e pela pátria distante, na mais pura dedicação pela Igreja.
 
Pedimos desculpas se deixamos de lembrar o nome de algum paroquiano ou paroquiana, e colaboradores que direta ou indiretamente deram sua contribuição para o fortalecimento e crescimento da Comunidade Paroquial da Catedral São Demétrio. Tal fato pode ter acontecido, mesmo utilizando como base os registros históricos fornecidos pelo Prot. Pe Nicolas Milus, os arquivos da Secretaria Eparquial da IOAU no Brasil, as informações fornecidas pelo nosso Bispo Eparca Dom Jeremias Ferens, e também informações de antigos paroquianos que freqüentam e trabalham na Catedral São Demétrio.

Obrigado pela colaboração e compreensão de todos.
 
Atenciosamente,

 


Natalia Waszczynskyi - Presidente da Irmandade Feminina Santa Maria Madalena, e


Victor Waszczynskyj - Presidente da Diretoria Paroquial da Catedral São Demétrio
 
« Last Edit: June 14, 2010, 11:33:42 AM by Fabio Leite » Logged

Many Energies, Three Persons, Two Natures, One God.
Fabio Leite
Archon
********
Offline Offline

Faith: Orthodox
Posts: 3,124



WWW
« Reply #13 on: June 18, 2010, 09:06:40 AM »

A friend found a biography of ex-Father Miroslav on the internet, and here is the summary of his tragic life.

He was a Roman priest who was sent to Angola, where he faced many difficulties for many years and even started a process of depression. He was then assigned to Brazil where he fell in love with a woman who used to assit the previous priest. For some years he resisted this relationship, as she did. In fact, she even moved back to her home city and he was planning to go back to his country. At the last minute though, he decided to open his heart to a common friend who said that she thought his feelings would be reciprocrated. He decided to start the relationship, seeing it as his last chance of being happy in life. He then refused performing masses, considering himself unworthy. He did go back to Poland and kept corresponding with his former assistant. Someone violated his mail and the word was spread that the priest had an "affair" and accusations started to be thrown specially on her, who had stayed here.

He then came back to Brazil where he got involved with protestant groups and almost became a pastor. But there were conflicts, specially regarding Marian devotion and he had to leave the group. He sought acceptance by canonical Ukrainian church in Brazil and was accepted. He saw many things he considered unworthy of the church happening there though, and he left the jurisdiction. He had talks with they dodgy Syriac Church of Brazil (which was absolutely irregular before the internet denounced their lack of recognition with the official Syriac church) and ended in the Kievian Patriarchate of Philaret. After some years too, he could not stay there and returned to the Northeast of Brazil after talks with an association of ex-priests. He developed a close friendship with a member of this association who had entered the political life through the Labour Party, and campaigned passionately for him, being a key element of his victory in the run for mayor. He was then assigned a function in the Education secretary of the town where he spent the last years of his life, while at the same time participating in the local Roman catholic parish as a layman. He did marry his beloved and they had a son who is now six years old. Even after his death his story was involved in problems, for the local Roman priest refuse to pray the mass with his body present ("Present Body Mass" in a literal translation) which corresponds to our Panahida somehow, I suppose. Evangelical pastors promptly prayed for him and the association of ex-priests made their protest public as did his widow.

So he was not so much a jumper, but more of a person crushed by questions and issues he could not solve. God have mercy on him!
Logged

Many Energies, Three Persons, Two Natures, One God.
kijabeboy03
High Elder
******
Offline Offline

Faith: Orthodox Christian
Posts: 818

"The glory of God is in man fully alive."


« Reply #14 on: January 12, 2011, 08:02:49 PM »

The UOC-KP seems to have a habit of picking up charismatic (in the modern, Pentecostal sense of that term) priests - I met a clergyman of theirs in the USA and another who's now in the UOCUSA who were charismatic as well.
Logged

"This is the Apostolic Faith, the Orthodox Faith, and the Faith of the Fathers. Having this wonderful treasure, let us preserve it, let us keep it, and let us also use it in such a way that this treasure becomes the victory of Christ in us and in His Church." ~ St. Severus of Antioch ~
Orest
High Elder
******
Offline Offline

Posts: 974


« Reply #15 on: January 21, 2011, 07:56:12 PM »

The UOC-KP seems to have a habit of picking up charismatic (in the modern, Pentecostal sense of that term) priests - I met a clergyman of theirs in the USA and another who's now in the UOCUSA who were charismatic as well.
What worrys me is that these clergy men they (UOC-KP) "pick up" as you say often don't have the proper spiritual formation in an Orthodox seminary: (3 years in an orthodox seminary to educate them in Orthodox theology, church history, liturgy and pastoral theology). The standards of the UOC-KP may be considered too low by some and could lead tp problems when these clergymen "do their own thing".
Logged
Tags: Poland Polish 
Pages: 1   Go Up
  Print  
 
Jump to:  

Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1.18 | SMF © 2013, Simple Machines Valid XHTML 1.0! Valid CSS!
Page created in 0.128 seconds with 43 queries.